Sabado, 16 de janeiro de 2021 Nossa história      

Notícias

CALDEIRÃO GRANDE DO PIAUÍ ESTÁ ENTRE AS CIDADES QUE REGISTRARAM MAIOR CRESCIMENTO DO PIB NO PAÍS, EM 2018

Data de Publicação: 16/12/2020

Em apresentação realizada na quarta-feira, 16 de dezembro, a Seplan evidenciou o PIB dos municípios 2018, que revelou o panorama, como em anos anteriores, de acentuada concentração, tanto da atividade econômica, quanto da população, em reduzido número de municípios. Dez municípios piauienses (4,5% do total) concentraram 62,61% da riqueza do estado e 40,77 % da população Teresina respondeu por 41.61% do PIB estadual em 2018.

Os resultados ainda mostram a força das energias renováveis, sendo que dentre os municípios com maior variação nominal do PIB no país em 2018, Lagoa do  Barro do Piauí apresentou o maior crescimento, da ordem de 374,01%. Em 2017, o município  havia registrado um PIB de R$ 37,3 milhões, tendo aumentado para R$ 176,8 milhões em  2018. Lagoa do Barro subiu 2.420 posições no ranking do PIB dos municípios do país,  passando da posição 5.271, em 2017, para a posição 2.851, em 2018. Esse aumento  expressivo no PIB deveu-se aos investimentos realizados no município para a criação de  complexos de geração de energia eólica.

Dentre os dez maiores aumentos percentuais no PIB dos municípios do país, destacou-se, ainda, o município piauiense de Caldeirão Grande do Piauí, que apresentou um  crescimento de 135,42%. Em 2017, o município havia registrado um PIB de R$ 45,5 milhões,  tendo aumentado para R$ 107,1 milhões em 2018. Caldeirão Grande do Piauí subiu 1.314  posições no ranking do PIB dos municípios do país, passando da posição 5.037, em 2017, para  a posição 3.723, em 2018. Da mesma forma como ocorreu com o município de Lagoa do Barro,  o crescimento observado no PIB de Caldeirão Grande do Piauí deveu-se aos investimentos  realizados na geração de energia eólica.

Teresina foi o município piauiense com o maior PIB no ano de 2018. Com um montante de R$ 20,96 bilhões, a capital do Estado apresentou crescimento nominal positivo de 9,64% em relação ao PIB de 2017. Em seguida, destacam-se os municípios de Parnaíba, com geração de RS 2,322 bilhões, o que caracterizou um aumento de 14,98%, e Uruçuí, que apresentou um incremento de 35,02 % em relação ao ano de 2017. Desse modo, gerou R$ 1,703 bilhões, tendo como principal vetor desse crescimento a agropecuária praticada no município

Dentre o grupo de municípios com os maiores PIBs estaduais observa-se que todos apresentaram no ano de 2018 variação nominal positiva. Nesse contexto, o municipio de Guadalupe, com PIB de R$ 741,26 milhões e um crescimento de 38,65% teve, portanto, o maior crescimento no grupo.

Três municípios ocuparam as primeiras posições e apresentaram taxas de crescimento acima de 100%, Lagoa do Barro do Piauí, com PIB de R$ 176.847 milhões, cresceu 374,00% em relação à 2017. Caldeirão Grande do Piauí, com um montante de R$ 107.137, cresceu 135,42% e o municipio de Ribeira do Piaui, com R$ 229.983, cresceu 106,55%. Neste cenário, ressalta se a importância da industria de geração e distribuição de energia elétrica, empreendimentos de energias renováveis (eólica e solar) que estão sendo praticados nestes municípios.

Os dez municípios que tiveram menor participação no PIB do Estado agregaram juntos apenas 0,40% (R$203,58 milhões), do montante total produzido no estado que fora na ordem de RS PIB de R$ 50,38 bilhões. Esses municípios são característicos por apresentarem mais dependência em relação ao demais das transferências dos Governos Estadual e Federal bem como pela prática da agropecuária de subsistência. Santo Antônio dos Milagres, com geração de RS 14,1 milhões, apresentou o menor PIB entre os 224 municípios piauienses, apesar disso, teve variação positiva de 8,72% em relação ao ano de 2017. Porto Alegre do Piaui teve a menor taxa de crescimento econômico e Sao Miguel do Fidalgo aparece na lista como o único municipio que apresentou crescimento nominal negativo do PIB – 2,95%).